Açúcar bruto fecha em queda na ICE pela 4ª sessão; café cai 1%

Açúcar
O açúcar branco para dezembro perdeu 1,40 dólar, ou 0,3%, em 500,80 dólares a tonelada (Imagem: Pixabay)

Os contratos futuros do açúcar bruto na ICE fecharam em queda pela quarta sessão consecutiva nesta quinta-feira, com os especuladores continuando a cortar suas posições compradas no adoçante.

O café arábica perdeu 1%.

Açúcar

O açúcar bruto para março ​​fechou em queda de 0,03 centavo de dólar, ou 0,2%, em 18,94 centavos de dólar por libra-peso, sua quarta sessão consecutiva de perdas, tendo atingido na terça-feira seu ponto mais fraco desde o final de setembro, em 18,82 centavos de dólar.

Os operadores disseram que o mercado teme grande venda de fundos e mantém um viés baixista, com chuvas nos principais produtores, Índia, Tailândia e Brasil, aumentando a pressão.

A queda dos contratos em aberto foi vista como outro indicador de que os especuladores continuam cortando suas posições compradas, com expectativas sobre o relatório da CFTC na sexta-feira.

Corretores disseram que o açúcar, no entanto, está no mesmo nível, ou um pouco acima, da paridade brasileira do etanol de 18,50 a 19,00 centavos de dólar.

Se cair ainda mais, as usinas de cana-de-açúcar vão produzir mais etanol em detrimento do açúcar, o que deve colocar um piso nos preços.

O açúcar branco para dezembro perdeu 1,40 dólar, ou 0,3%, em 500,80 dólares a tonelada.

Café

O café arábica para dezembro fechou em queda de 2,25 centavos de dólar, ou 1,1%, em 2,033 dólares por libra-peso.

O arábica está consolidando cerca de 2 dólares por libra após os ganhos acentuados na semana passada que o levaram próximo das máximas de 6 anos e meio de julho.

As áreas de cultivo de café do Brasil, maior produtor, devem continuar se beneficiando dos períodos alternados de chuva e sol durante as próximas duas semanas, disseram os operadores.

Ainda assim, o arábica continua sustentado por restrições globais de embarque, altas taxas de frete, queda nos estoques em todo o mundo, dentro e fora da bolsa, e falta de vendas por fazendeiros no Brasil.

O café robusta para janeiro ganhou 4 dólares, ou 0,2%, em 2.135 dólares a tonelada.

FONTE: MONEY TIMES

Total
0
Shares
Previous Article

Custo do Auxílio Brasil pode ficar com futuras gerações, diz especialista

Next Article

CMN remaneja R$ 1,3 bi para cafezais afetados por geadas

Related Posts