Conheça o novo inseticida da Corteva para combater a broca-da-cana

 

Além dos impactos sobre a produtividade da colheita, a broca-da-cana tem sérios impactos sobre a indústria. Estima-se que a cada safra R$ 5 bilhões são perdidos no Brasil em razão dessa praga, com perdas distribuídas entre redução da produtividade (agrícola – 60%) e menor qualidade na extração e fermentação (indústria – 40%).

Por isso, produtores e usinas precisam ficar em alerta para tomar decisões mais assertivas de manejo dessa praga. E, no atual momento, o uso do Revolux®, da Corteva, é uma das estratégias mais assertivas.

Veja quais são os principais impactos da infestação de broca-de-cana em canaviais e saiba por que o Revolux é a sua melhor escolha no combate dessa praga.

Principais impactos da ocorrência de broca-de-cana nos canaviais

A cada hectare colhido, a cada nova safra, a presença da broca-da-cana é uma preocupação cada vez mais percebida e relevante em canaviais de todas as regiões produtoras de cana do Brasil.

Mas nem sempre foi assim. Por muito tempo, a broca foi considerada uma praga secundária. Mas essa lagarta ganhou maior importância com as profundas alterações no sistema produtivo ocorridas nas duas últimas décadas, principalmente com a substituição da colheita manual de cana queimada pelo sistema mecanizado de cana crua.

Quando se faz presente na cultura da cana-de-açúcar, a broca-da-cana tem o potencial de impactar a lavoura e a indústria, resultando em perdas produtivas e financeiras para todos os elos dessa cadeia produtiva.

Dessa forma, os principais danos e impactos da broca-da-cana são:

 – Impacto agrícola: a broca da cana-de-açúcar é uma praga que tem efeito direto na qualidade do produto final, ocasionada por diversas perdas agronômicas causadas pela broca:

  • Morte de perfilhos na fase inicial da cultura (coração morto);
  • Redução na absorção e transporte dos nutrientes e água;
  • Enfraquecimento das plantas (favorecendo quebras e tombamento);
  • Brotação lateral;
  • Infecção por fungos e bactérias oportunistas (Colletotrichum e Fusarium);

– Impacto industrial: a contaminação por fungos oportunistas interfere na qualidade e na recuperação do açúcar e no desempenho da fermentação, reduzindo sua eficiência. Na indústria, a broca está ainda associada à formação de espuma em excesso e floculação por leveduras selvagens contaminantes.

Por essas razões, a cana infestada por broca eleva os custos de produção, impactando a atividade financeira. Estudos indicam que a broca-da-cana pode impactar em perdas de R$ 45 até R$ 170/ha.

Para evitar a ocorrência destes impactos, o correto manejo é essencial, tendo no manejo integrado de pragas uma estratégia bastante efetiva. Pensando nessa necessidade, a Corteva buscou reestruturar todo seu time de especialistas dentro da linha Cana, afim de atender melhor ao mercado e oferecer cada vez mais soluções inovadoras para seus clientes.

Com essa reestruturação surge o Revolux®, desenvolvido pela equipe de especialistas para a linha cana da Corteva e que veremos a seguir.

Chegou Revolux®. Canavial rentável e melhor controle da broca desde a primeira aplicação.

Você é um dos muitos produtores que anda tendo muitos problemas com a broca-da-cana no seu canavial? Então está na hora de conhecer todo o poder de Revolux® que oferece um manejo muito mais eficiente e sustentável desse problema.

Com alta potência inseticida, excelente residual e rápida velocidade de ação sobre as lagartas, Revolux® permite um longo e efetivo período de controle da broca, mantendo o canavial mais limpo e livre dos danos.

Este inseticida conta com dois ingredientes ativos (Espinetoram – 60 g.i.a/l e Metoxifenozide – 300 g.i.a/l), além de dois modos de ação únicos e exclusivos em cana para melhor controle da broca-da-cana, podendo ser aplicado via foliar, de forma aérea ou tratorizada, e apresentando alta eficiência no controle da broca de cana em todo seu ciclo de vida.

Este é também um produto que se encaixa perfeitamente no manejo integrado de pragas (MIP), pois torna possível a rotação de ativos e modos de ação no controle da broca, além de ser seletivo aos principais inimigos naturais desta praga.

Além do efetivo controle da lagarta antes da sua entrada no colmo, o Revolux® possui exclusiva ação ovicida, contribuindo assim para um período de controle muito mais prolongado.

Manejo biológico e correto monitoramento: fatores essenciais para o controle da broca-da-cana

Além do uso do melhor inseticida, o manejo biológico e o correto monitoramento são fatores extremamente importantes para um controle mais eficiente da broca.

O manejo biológico se faz importante quando a lagarta-da-broca entra no colmo, momento em que o inseticida não tem mais ação. Assim, para não comprometer a perfomance da cana o manejo biológico se torna fundamental.

Para essa estratégia de manejo, uma vespa predadora da broca conhecida como Cotesia flavipes é liberada na área. Ela consegue localizar a broca e parasitá-la no interior do colmo.

Já o monitoramento deve ser feito manualmente ou por meio de armadilhas, estratégia mais realizada atualmente.

As armadilhas são ferramentas que ajudam produtores e usinas a identificar o problema em áreas muito maiores, permitindo melhor gestão da área plantada e necessidade de novas áreas de aplicação, já que mão de obra é tão escassa.

Elas servem para identificar o pico de adultos e a presença de ovos na área. Machos são atraídos pelas fêmeas presas na estrutura, que podem ser uma caixa, triângulo e bob de cabelo.

Dessa forma, para alcançar maiores produtividades e manter a qualidade da matéria-prima, é preciso investir na melhor tecnologia que atua em todas as fases da praga e que ofereça proteção prolongada para o seu cultivo, caso do inseticida Revolux®.

FONTE: CANAL RURAL

Total
0
Shares
Previous Article

Microempreendedores têm menos de uma semana para regularizar dívidas

Next Article

Plantio da safra de soja do Brasil 2021/22 alcança 1,3% da área estimada

Related Posts