Estudo aponta aumento no consumo de carne por delivery no Rio Grande do Sul

Um levantamento realizado pela Ticket, marca de benefícios de alimentação e refeição da Edenred Brasil, para traçar o perfil de alimentação dos trabalhadores brasileiros revelou que o Rio Grande do Sul foi o estado que apresentou o maior aumento no consumo de carne por delivery em 2021. Enquanto em dezembro de 2020 a quantidade de pedidos desse tipo de culinária estava na oitava posição no ranking de comidas prontas consumidas por aplicativos, em agosto deste ano ela ocupou o quinto lugar, atrás apenas das categorias lanchonete, brasileira, fast food e padaria. No mês de maio, chegou a ultrapassar as padarias e ocupar a quarta posição.

“Por conta das restrições impostas pela pandemia, os restaurantes tiveram que se adaptar e aprimorar seus cardápios e embalagens para a entrega de refeições de carnes prontas, o que acabou estimulando um novo hábito de consumo. Tanto que esse movimento não aconteceu no tradicional, apenas no delivery”, comenta Felipe Gomes, Diretor-Geral da Ticket.

Alguns estados do Nordeste também se destacaram pela quantidade de pedidos de carne por delivery. A Bahia fechou o mês de agosto com a culinária em segundo lugar na lista, atrás apenas da comida brasileira. Em janeiro, o prato ocupava a quarta posição, em seguida de estabelecimentos de refeições brasileiras, fast food e pizzarias.

No Maranhão, o tipo de culinária também apareceu em segundo lugar no último mês, posição que ocupa desde março, logo atrás da comida brasileira. Nos meses de janeiro e fevereiro, o consumo de carne pronta no estado estava em terceiro lugar, após as culinárias brasileira e fast food. “Já no Piauí, o consumo de carne por delivery concluiu agosto na terceira posição. Foi um grande aumento, já que nos três primeiros meses do ano ela ocupava apenas o oitavo lugar”, comenta Gomes.

Enquanto alguns estados nordestinos se destacam pela grande quantidade de pedidos de carne por delivery, a região Sudeste aparece como a que menos consome o prato no formato de pedidos online. No Rio de Janeiro, o prato fechou o mês de agosto ocupando a quinta posição, já em São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santos, apareceu apenas em sexto lugar.

FONTE: NEWTRADE

Total
0
Shares
Previous Article

Cultura microbiológica na fazenda reduz custos da mastite

Next Article

Governo define condições para liberação de crédito a cafeicultores atingidos por geadas

Related Posts