Preços do açúcar bruto caem na ICE; cacau de NY avança para pico de 10 meses

Açúcar
O açúcar bruto para março fechou em queda de 0,37 centavo de dólar, ou 1,8%, em 19,69 centavos de dólar por libra-peso (Imagem: Pixabay)

Os contratos futuros do açúcar bruto na ICE fecharam em baixa nesta segunda-feira, impulsionados pela liquidação das posições compradas dos fundos, enquanto o cacau negociado em Nova York atingiu a máxima de 10 meses devido às fortes chuvas no principal produtor, Costa do Marfim, aumentando preocupações sobre doença fúngica.

Açúcar

O açúcar bruto para março fechou em queda de 0,37 centavo de dólar, ou 1,8%, em 19,69 centavos de dólar por libra-peso.

O mercado foi pressionado por sinais de que os fundos podem estar reduzindo as posições compradas, com o apetite pelo risco diminuído diante dos problemas em curso no setor imobiliário da China.

“Quanto mais tempo o mercado permanecer sem direção, maior será o risco de uma liquidação de fundos. Mas achamos que as últimas duas semanas viram uma mudança importante o aparente retorno da demanda por açúcar branco e a demanda substancial de açúcar bruto em setembro”, disse a corretora Marex em nota.

Os operadores também notaram o enfraquecimento da moeda brasileira, que costuma atrair vendas das usinas, e observaram a previsão do tempo para mais chuvas no principal cinturão de açúcar do país sul-americano.

A Trading Corporation do Paquistão (TCP) lançou uma nova licitação internacional para comprar 50 mil toneladas de açúcar branco, disseram traders europeus nesta segunda-feira.

O açúcar branco para dezembro caiu 8,30 dólares, ou 1,6%, em 502,60 dólares a tonelada.

Cacau

Em Nova York, o cacau para dezembro fechou em alta de 42 dólares, ou 1,5%, para 2.752 dólares a tonelada, após atingir a máxima de 10 meses, em 2.792 dólares.

O mercado tem sido sustentado em parte por fortes chuvas no maior produtor, Costa do Marfim, o que aumentou a ameaça representada por doença fúngica em algumas regiões produtoras de cacau no país, disseram produtores nesta segunda-feira.

Café

O café arábica para dezembro fechou em queda 3,7 centavos de dólar, ou 1,8%, em 2,0035 dólares por libra-peso, após atingir a máxima de dois meses de 2,0555 dólares na sexta-feira.

Os operadores disseram que o mercado pode se consolidar no curto prazo após sua recente alta, mas o clima geral permaneceu altista, com interrupções na oferta no mercado físico aumentando o apetite por estoques da bolsa.

Há previsão de que fortes chuvas atingirão a região do Sul de Minas nos próximos dias, o que pode melhorar a umidade do solo e impulsionar a floração na safra do próximo ano.

O café robusta para novembro recuou 20 dólares, ou 0,9%, para 2.148 dólares a tonelada.

FONTE: MONEY TIMES

Total
0
Shares
Previous Article

Colheita de soja nos Estados Unidos já ultrapassa 1/3 da safra

Next Article

Apex-Brasil espera atrair US$ 10 bilhões em investimentos e exportação de US$ 500 milhões na Expo Dubai

Related Posts