Série de lives aborda os sabores e as histórias do caju

Fruta nativa do Brasil, o caju possui uma rica influência na cultura e na gastronomia da Região Nordeste, servindo de inspiração para tanto para artistas quanto para chefes de cozinha. A Embrapa Agroindústria Tropical, em parceria com a Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco (EGSIDB), apresentará um pouco dessa riqueza na série “Sabores e Histórias do Caju”, em que mestres e profissionais do sabor irão compartilhar um bom bocado do seu saber ao público.

A cada quinta-feira será apresentado, no canal da Embrapa no Youtube (http://www.youtube.com/embrapa), um prato que tenha em sua receita o pedúnculo, o suco ou a castanha de caju. Durante o preparo, histórias, informações culturais e causos serão trazidas a público. É ciência, é arte e é cultura. O caju na sua integralidade.

Genésio Vasconcelos, chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Agroindústria Tropical, aborda os objetivos de realizar essa série de lives: “A proposta da série ‘Sabores e Histórias do Caju’ é trazer ao público essa mescla de alimentação, nutrição, culinária e oportunizar momentos entre amigos e familiares. Além disso, mostrar a versatilidade do uso do caju, com opções domésticas e de fácil replicação. Enfim, tornar o caju ainda mais presente nas mesas dos cearenses”.

A Embrapa Agroindústria Tropical desenvolve diversas pesquisas com o caju que vão desde o sistema de produção até o aproveitamento integral do fruto. Com os episódios, a intenção é apresentar elementos que estão além do conhecimento científico. “O caju é uma fruta que sempre chamou a atenção dos consumidores, quer seja pela sua aparência, cheiro, sabor ou devido aos inúmeros aspectos nutricionais, tanto do pedúnculo quanto da amêndoa. Além disso, ele faz parte da história do povo nordestino e traz consigo momentos, sentimentos e lembranças”, explica Genésio Vasconcelos.

Lina Luz, coordenadora de gastronomia e cultura alimentar na Escola de Gastronomia, destaca a relevância da parceria: “Estamos muito felizes em mais uma vez reforçar os laços de parceria com a Embrapa. Ter o caju como tema atende a uma demanda do nosso público e reforça nosso compromisso com o desenvolvimento territorial através da Cultura Alimentar do Ceará e da Gastronomia. Essas lives por certo serão uma delícia!”

Confira os episódios:

23/09, às 19h30 – Coquetéis à base de caju raiz, mocororó, cajuína e mel de caju, com Maurício Flair. Assista aqui

30/09, às 19h30 – Almôndegas de caju, com Nilza Mendonça. Assista aqui

07/10, às 19h30 – Doce de caju-ameixa e mousse de caju, com Ana Célia. Assista aqui

14/10, às 19h30 – Empada de caju, com Mattu Macedo. Assista aqui

Sobre a Embrapa Agroindústria Tropical

Criada em 1987, como Centro Nacional de Pesquisa de Caju, a Embrapa Agroindústria Tropical atuou exclusivamente, em seus anos iniciais, com o desenvolvimento de soluções tecnológicas para a cajucultura. Em 1993, a missão do centro foi ampliada, passando a incorporar muitas outras cadeias produtivas, com foco na agroindustrialização. A unidade passou a ser denominada pelo seu atual nome. Entre os principais focos de atuação da Embrapa Agroindústria Tropical estão a agroindústria, os fabricantes de insumos para indústrias e a valorização da biodiversidade brasileira.

Sobre a Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco

Instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, a Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco (EGSIDB) é gerida pelo Instituto Dragão do Mar. O nome faz referência ao fundador do grupo M. Dias Branco, que financiou a sede doada para o Estado em uma parceria público-privada. O centro de formação oferece cursos básicos e profissionalizantes em cozinha, panificação e confeitaria, além de mentorias para desenvolvimento de produtos e projetos, por meio do Laboratório de Criação em Cultura Alimentar e Gastronomia.



FONTE: AGROLINK

Total
0
Shares
Previous Article

Entenda como a Raízen é única e sua ação pode disparar até 80%

Next Article

Venda direta de etanol não reduzirá preço nas bombas

Related Posts